Programa Nacional de Agricultura Irrigada

Escrito por Kilmara Ramos. Publicado em Recursos Hídricos

Agricultura Irrigada

Embora sendo uma técnica agrícola antiga, a prática usual da irrigação no Brasil é recente, tendo o seu início nos anos 60. Antes disto, o Brasil não contava com uma política de irrigação, promovendo ações isoladas e para atender situações específicas, como a região semi-árida do Nordeste ou manter as lavouras de arroz no Rio Grande do Sul[1].

Com o início do dos anos 60, buscou-se ampliar o conhecimento sobre os recursos naturais disponíveis de um modo geral e criar e implantar programas nacionais de amplo alcance, como o Programa Plurianual de Irrigação (PPI) e o Programa de Integração Nacional (PIN), em 1969 e 1970, respectivamente.

A partir de 1985, adotou-se um novo modelo de incentivo à irrigação, implantando programas de âmbito nacional em que as funções do governo e do setor privado estavam mais bem definidas.

Atualmente, para atingir uma maior eficiência no uso e na gestão dos recursos hídricos para irrigação, objetiva-se atingir uma sinergia entre o setor privado e governamental, para garantir maior sustentabilidade na agricultura.

O setor agrícola é o que mais consome água, um recurso com distribuição desigual no território nacional. As regiões com disponibilidade hídrica menor, e com um cenário mais preocupante, são o Sul, o Sudeste e a parte oriental do Nordeste. No entanto, a tendência atual para aumentar a produção agrícola e oferecer alimento suficiente para a população global crescente, é o uso da irrigação na agricultura. É mantendo estas questões em mente que o IICA atua com o seus parceiros nos Projetos de Cooperação Técnica (PCT) nesta área.

Uma experiência notável do IICA neste âmbito foi o PCT Programa de Ação Nacional de Combate à desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca (PAN-Brasil) no qual foram promovidas ações com o Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (DNOCS) para a mobilização social, reassentamento e organização dos usuários dos recursos hídricos[2].

 Neste mesmo PCT, também realizou-se cooperação técnica ao Ministério da Integração Nacional na concepção e implementação de instrumentos para a autossustentação de perímetros irrigados, como também iniciativas relacionadas à consolidação do Sistema de Gerenciamento de Recursos Hídricos e da gestão da oferta e da demanda de água para usos múltiplos de governos estaduais. Outra forma de atuação do IICA foi a promoção do desenvolvimento regional sustentável da região abrangida pelo Projeto de Integração do Rio São Francisco às Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional (PISF), ampliando seu alcance e implementando o Sistema de Gerenciamento Integrado de Recursos Hídricos na região[3].


[1] MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL, INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA, DEL GIUDICE ASSESSORIA TÉCNICA LTDA. A irrigação no Brasil: situação e diretrizes. Brasília: IICA, maio 2008. 132 p.

[2] INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. Relatório anual 2006: A contribuição do IICA para a agricultura e o desenvolvimento das comunidades rurais no Brasil. Brasília: IICA, 2007.  pp. 48 – 49.

[3] INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. Relatório anual 2007: A contribuição do IICA para a agricultura e o desenvolvimento das comunidades rurais no Brasil. Brasília: IICA, 2008.  pp. 47 – 49.

Projetos de Cooperação Técnica em Recursos Hídricos