World Water Council

Escrito por Kilmara Ramos. Publicado em Recursos Hídricos

Com o propósito de contribuir para o avanço de temas relacionados com os recursos hídricos o WWC, busca atuar como facilitador, no debate e na conscientização publica e nas políticas relativas às questões hídricas. Também objetiva convencer políticos quanto à urgência e necessidade de programar ações efetivas.

Com este objetivo em mente o WWC organiza eventos nos níveis locais, regionais e global, enfatizando a interação entre todos os atores (stakeholders) internos ou externos ao setor hídrico, desde os mais elevados níveis de decisão ate o usuário final em nível de campo.  Para apoiar estes objetivos o WWC conta com uma expressiva e diversificada adesão de organizações associadas.

Estabelecida em 1996, o WWC conta como membros mais de 300 organizações de 62 Paises. E representa uma rede de centenas de milhares de pessoas atuantes pela causa da água.
Para garantir uma adequada representatividade, as organizações membro, são classificadas em cinco colegiados distintos, cada qual, representado no Conselho Diretivo.
Estes colegiados são compostos por organizações inter-governamentais, (diversas agencias das Nações Unidas), Governos locais, Sociedade Civil, ONG’s, Organizações Privadas e Publicas, Centros de Pesquisa e Organizações Profissionais.
A atual distribuição dos seus membros corresponde aos seguintes percentuais:
- Associações profissionais e Instituições acadêmicas, 23%;
- Organizações intergovernamentais, 4%;
- Governos ou instituições governamentais, 20%,
- Sociedade Civil e Associações de Usuários de Água 17%,
- Empresas, 36%.

O objetivo principal do WWC, é o de promover e facilitar a conservação eficiente, a proteção, desenvolvimento a gestão e uso da água de forma ambientalmente sustentável. Para o alcance deste objetivo três grupos alvo são enfocados por meio do lema “Água e Responsabilidade de Todos”, (i) a comunidade hídrica a ser organizada; (ii) os tomadores de decisão política que estão imbuídos da responsabilidade de tornar a água uma prioridade nas agendas políticas em nível local, nacional e internacional; (iii) a sociedade civil e usuários de água.
Ao propiciar uma plataforma para debates e intercambio de experiências, o Conselho busca desenvolver uma Visão compartilhada com toda a comunidade hídrica fundamentada pelos princípios de gestão eficiente e eficaz dos recursos hídricos e serviços associados. Adicionalmente, o Conselho desempenha o papel de catalizador na ação e na reflexão, que supre os encontros internacionais, incluindo-se o Fórum Mundial das Águas como seu principal evento.
Recentemente, foram iniciados os preparativos para a organização do VI Forum Mundial das Aguas a ser realizado em Março de 2011 em Marseille –França. Este encontro preparatório foi antecedido por uma reunião técnica preparatória realizada em Brasilia, na Agencia Nacional de Aguas, com o propósito de definir a participação do Brasil, representado pelos diversos membros institucionais que fazem parte do ´´Board of Members´´ do Conselho Mundial das Águas (World Water Council-WWC) da qual a RIB é integrante.
 Em sequencia estão programados diversos encontros regionais denominados  ``Kick Off Meetings`` , que orientarão o conteúdo programático do futuro VI Forum.  O primeiro destes, foi realizado em Marseille – França, quando cerca de 300 participantes representantes das diversas instituições participantes do Board, estiveram reunidos entre os dias 2 a 4 de Junho, visando a seleção e discussão dos eixos temáticos a ser considerados para o evento.
Foi estabelecida uma sistemática para a comunicação posteriro  entre os membros participantes do tema Água e Segurança Alimentar, que deverá consolidar sua posição, por meio de um processo iterativo,  o que deverá subsidiar  o próximo encontro  do tipo ``Kick –Off´´ , para a sequencia do desenho  e formatação do VI Forum.  
Entre os temas , podem ser destacados os seguintes:
•    Direito á Água – a ser expresso na Declaração Universal dos Direitos Humanos;
•    Usos Múltiplos dos Recursos Hídricos ;
•    Mudanças Climáticas, Adaptação e Mitigação;
•    Acesso à água, saneamento, águas residuais&saúde  pública;
•    Governança pela Água;
•    Futuro Transfronteiriço/Cooperação Transfronteriça;
•    Riscos&Gestão de Disastres Naturais (Hídricos);
•    Inovações (Out of the Box);
•    Água &Segurança Alimentar;
•    Agua&Energia
•    Água&Natureza;
•    Comunicação&Educação (awareness-raising)

 (OBS: No tema Água&Segurança Alimentar houve a participação direta do representante do IICA com a ´´advocacy´´ do tema Água& Segurança Alimentar como binômio indissociável, a ser contemplado na programação geral.
 Neste componente poderão ainda, ser considerados os seguintes subtemas:
            - Produtividade Hídrica
    - Urbanização&Dinâmica Populacional;
    - Gestão de Recursos Hídricos;
    - Aspectos Institucionais;
    - Sustentabilidade Ambiental;
- Agua Virtual.
   Todos estes temas  e subtemas estão em plena fase de discussão sob a ótica dos ´´cross cutting issues´´ , dos ´´objetivos´´ e  das ´´soluções´´).
As discussões que se sucederam,  foram subsidiadas e  levaram em consideração  conceitos  e impressões  delineados a seguir.
Água e Segurança Alimentar: A garantia da disponibilidade de água para alimentação e água para energia representa um elemento chave para a determinação do volume de água necessário na distribuição temporal requerida para sua adequada utilização.
 A competição crescente entre a produção de alimentos de um lado e a produção de energia de outro determina o reconhecimento que os setores produtivos de alimentos e de energia estão intimamente ligados por meio da sua utilização e impacto sobre os recursos hídricos. Esta situação sugere a necessidade de maior cooperação entre estes setores usuários e menor competitividade, esta convivência tende a ser crítica nos próximos anos.
Há evidente necessidade de tornar a agricultura mais eficiente no uso da água o que requer na melhor compreensão das ´´pegadas´´ de alimentos e de energia (nos moldes das ´´pegadas´´ ecológicas ou de carbono). Estes conceitos deverão ser desenvolvidos de acordo com os fundamentos de ´´Água Virtual´´, ou seja, a quantidade de  água requerida para a produção de um produto ou do seu consumo.

A ´´Adaptação ás Mudanças Climáticas´´, requer não somente a definição de prioridades técnicas adequadas como também a inserção destas nas prioridades e compromissos na agenda política de decisores. É reconhecido que deverá ser conferida alta prioridade á gestão dos recursos hídricos face aos cenários de mudanças climáticas particularmente em situações de risco, ameaças ou de vulnerabilidade.
O atual cenário requer a adoção do conceito de ´´segurança hídrica´´, adaptabilidade climática e solidariedade internacional por meio do uso estratégico do recurso água.  Neste sentido, nos Fóruns, tem sido expresso pelas lideranças políticas a impressão que os recursos hídricos tem-se tornado prioridade máxima, mesmo antes de discutida o manejo integrado de Recursos Hídricos, no contexto da crise financeira global, mudanças climáticas e flutuação dos preços de alimentos e energia.
Neste âmbito, o IICA na temática “Água para Segurança Alimentar” pode constituir-se como Organismo Internacional Intergovernamental, membro do WWC, num ator decisivo no processo de Networking. O WWC é uma organização internacional constituída por membros  governamentais, empresas, sociedade civil, organismos internacionais e instituições de pesquisa, o que facilita a comunicação e a disseminação de informações de interesse comum.
O desafio é o de conectar este diversificado grupo de atores e determinar novas formas de colaboração e comunicação no tema central a Água.
Gertjan B. Beekman

Projetos de Cooperação Técnica em Recursos Hídricos