Dia Mundial das Zonas Úmidas

Publicado em Notícias

No dia 2 de Fevereiro, comemora-se o Dia Mundial das Zonas Úmidas, efeméride que evoca a criação, em 1971, da Convenção de Ramsar, relativa à conservação e ao uso sustentável das Zonas Úmidas. 
Em 2016, a Convenção de Ramsar propõe o tema “Zonas Úmidas para o nosso futuro - Modos de vida sustentáveis”, com o objetivo de destacar a importância das zonas úmidas e de apelar à participação pública na conservação destes ecossistemas. 
 
As zonas úmidas são complexos ecossistemas que englobam desde as áreas marinhas e costeiras até as continentais e as artificiais. Alguns exemplos são os lagos, manguezais, pântanos e também áreas irrigadas para agricultura, reservatórios de hidroelétricas etc. Ao todo são classificados 42 diferentes tipos de zonas úmidas. 


A definição do conceito de zona úmida surgiu na Convenção de Ramsar. O tratado intergovernamental celebrado no Irã, em 1971, marcou o início das ações nacionais e internacionais para o conservação e o uso sustentável das zonas úmidas e de seus recursos naturais. Atualmente, 150 países são signatários do tratado, incluindo o Brasil. A convenção também classificou as zonas úmidas de importância mundial, os chamados Sítios Ramsar. Existem 1.556 Sítios Ramsar reconhecidos mundialmente por suas características, biodiversidade e importância estratégica para as populações locais, totalizando 129.661.722 hectares.

 
As zonas úmidas são essenciais para modos de vida sustentáveis. Os modos de vida ligados à pesca, à cultura do arroz, às viagens, ao turismo e ao abastecimento de água dependem das zonas húmidas. E as zonas húmidas são vitais para nós de muitas outras maneiras. Acolhem uma ampla variedade de seres vivos, protegem o nosso litoral, funcionam como esponjas naturais das cheias e captam dióxido de carbono, regulando as alterações climáticas.
 
Nós do IICA, visando a cooperação técnica internacional, contamos com projetos que envolvem a conservação e a mitigação de efeitos do cambio climático nessas zonas.