Ferramenta traz mapas históricos junto ao Google Maps

Publicado em Notícias

Está disponível uma ferramenta que permite visualizar os países nos séculos passados, através de uma coleção de mapas históricos, disponíveis de forma georreferenciada no Google Maps. O projeto, desenvolvido pelo colecionador norte-americano David Rumsey e pela Google, permite visualizar as alterações dos países desde o século XVII. Os documentos históricos foram disponibilizados pela Fundação David Rumsey - “Historical Map Collection”. Segundo o site oficial da Fundação, “a nova ferramenta inclui a pesquisa geográfica através da localização no mapa e pela cobertura do mapa antigo sobre o mapa atual, numa camada do Google Maps”. O mapa de Portugal, do século XVIII, foi desenhado pelo geógrafo italiano Giovanni Rizzi Zannoni, e corresponde à constituição do país entre os anos de 1736 e 1814. O mapa permite conhecer as fronteiras, as cidades e os distritos de terras lusas, em grande detalhe. Mapa do Brasil em 1842 Já o mapa do Brasil é datado de 1842, e mostra em detalhes o país e também Paraguai e Uruguai dentro de suas fronteiras. O mapa foi publicado junto ao Atlas de Geografia Universal de Londres, que mostrava as divisões físicas e políticas de vários países do mundo. O autor é o britânico John Arrowsmith. Além de Portugal e Brasil, é possível visualizar 118 países de cinco continentes, mapas completos da Europa e da América do Sul em 1787. A coleção de David Rumsey conta com 150 mil mapas históricos, e foi formada nos últimos 30 anos. O pesquisador já escaneou mais de 17 mil mapas desde 1999, e os disponibilizou online no site da Fundação, para visualização e download. Ferramenta Todos os mapas contêm informações valiosas sobre o passado e representam períodos de tempo (1680-1930), escalas e arte cartográfica, resultando em uma história visual que só os velhos mapas podem contar. Cada mapa foi georreferenciado, criando imagens de mapas digitais únicas que permitem que os mapas antigos apareçam em seus lugares corretos no mundo moderno. Segundo os organizadores da ferramenta, alguns dos mapas se encaixam perfeitamente em seus contornos atuais, enquanto outros (mapas de períodos mais antigos) revelam interessantes equívocos geográficos de seu tempo e, portanto, tiveram que ser distorcidos para caber corretamente no Google Maps e Earth. Características culturais sobre os mapas podem ser comparadas às visualizações modernas de satélite utilizando as barras para ajustar a transparência.

 

Fonte: http://mundogeo.com/